Skip to content

Criminosos assaltam agência do BB de Gonçalves Dias, MA

22/07/2016

Criminosos assaltaram uma agência do Banco do Brasil de Gonçalves Dias (MA), a 340 km de distância da capital maranhense, na madrugada desta sexta-feira (22). A ação aconteceu por volta de 1h30. Ao menos 10 suspeitos teriam participado da ação criminosa.

Segundo a Polícia Militar do Maranhão (PM-MA), para evitar uma ofensiva policial, os bandidos atiraram contra o destacamento da PM-MA na cidade e espalharam armadilhas em diversos pontos para cortar pneus de viaturas.

Após roubar o dinheiro do cofre da agência, os criminosos fugiram na direção de Codó (MA). A PM-MA já solicitou reforços de municípios vizinhos e da capital maranhense, para tentar prender os suspeitos.

Assaltos e explosões a bancos
O caso mais recente havia sido registrado em Santa Luzia do Paruá (MA). No dia 11 de julho, criminosos explodiram a agência do banco Bradesco da cidade. De acordo com testemunhas, cerca de 10 criminosos armados, divididos em três grupos, praticaram o ato na agência bancária e nos postos das polícias Civil e Militar da cidade para intimidar o efetivo. Eles furaram pneus dos carros de polícia e usaram corrente e cadeado para impedir a saída dos policiais dos postos.

No dia 8, outra ação, desta vez na agência do Banco do Brasil da cidade de São Mateus do Maranhão (MA), a 180 km de distância de São Luís, foi alvo de bandidos, que explodiram caixas eletrônicos e cofres, e apesar do uso de detonadores, a agência bancária não foi danificada. Entre o povoado Caxuxa e a sede do município de São Mateus, eles atravessaram uma carreta dos Correios e incendiaram uma picape para impedir a passasem de veículos – e consequentemente do trânsito de viaturas das polícias Militar e Civil – pela BR-135, que atravessa a cidade.

Outro caso havia sido registrado no dia 5 na agência do banco Bradesco em Anajatuba (MA) – a 130 km de São Luís, na região da Baixada Maranhense – e que terminou com um dos suspeitos mortos em confronto com a PM-MA.

Estatísticas
De acordo com o Sindicato dos Bancários do Maranhão (Seeb-MA), em 2016 já foram registrados 37 ocorrências, entre assaltos, arrombamentos e saidinhas bancárias. Do total, foram sete assaltos e 28 casos de arrombamentos a bancos, incluindo explosões a agências bancárias. Com o assalto desta sexta-feira, o número de ocorrências sobe para 38.

No ranking de cidades com casos de arrombamento a agências bancárias, Igarapé Grande e São Luís Gonzaga do Maranhão estão no topo da lista, com dois casos cada uma. Casos de arrombamentos foram registrados ainda em Alto Alegre do Pindaré, Maracaçumé, Paulo Ramos, Paraibano, Peri Mirim, Nova Olinda do Maranhão, Imperatriz, Satubinha, Bacuri, Grajaú, Araguanã, Tufilândia, Colinas, Santa Luzia, Amapá do Maranhão, Centro Novo do Maranhão, São Benedito do Rio Preto, Olho d’Água das Cunhãs, São Domingos do Maranhão, São Luís, Buriti, Anajatuba, São Mateus do Maranhão e Santa Luzia do Paruá.

Do G1.

Diretoria do SINPROESEMMA agora diz que o governo pode pagar o reajuste do piso

21/07/2016

Em mais de quatro horas de reunião, diretores do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (SINPROESEMMA) e a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) não conseguiram chegar a um consenso no ponto principal da negociação salarial de 2016: o reajuste de 11, 36%. Os sindicalistas reconhecem que os demais itens da pauta de negociação representam uma vitória da luta da categoria pela valorização da carreira, mas reajustar o salário que está previsto na Lei do Estatuto do Magistério é fundamental para a efetiva valorização.

Enfática, a presidenta do SINPROESEMMA, Benedita Costa, cobrou a inclusão do reajuste dos salários da educação pública estadual pelo governo, na elaboração da peça orçamentária do Estado para 2016, já que, em 2015, o governo atual cumpriu o acordo acertado entre o Sindicato e a gestão passada, com recursos do orçamento estadual.

“O governo cumpriu o acordo em 2015, quando não participou da elaboração do orçamento, agora, em 2016, será que o atual governo elaborou a peça orçamentária e não previu que os professores teriam o reajuste dos seus salários como acontece todo ano na nossa data-base, em janeiro?”, interrogou.

Governo e a lei. A presidenta lembrou que, além de previsto no Estatuto do Magistério, o reajuste consta na Lei Federal que prevê a recomposição anual do salário do servidor público

O governo alegou novamente que as despesas estão superiores à arrecadação fiscal, o que inviabilizaria a recomposição salarial.

DIEESE

O SINPROESEMMA encomendou junto ao Departamento intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) uma análise dos Indicadores Fiscais, Finanças Públicas e FUNDEB do Estado do Maranhão e, com base em dados de maio de 2015 a abril de 2016, o resultado aponta o seguinte diagnóstico com relação ao alegado limite fiscal:

“O estado do Maranhão não possui restrição fiscal para concessão de reajustes salariais de servidores estaduais. A despesa de pessoal no 1º quadrimestre de 2016 foi de R$ 4,8 bilhões, enquanto a receita corrente líquida atingiu R$ 10, 8 bilhões, o que leva a um comprometimento de 44,6% segundo a LRF [Lei de Responsabilidade Fiscal]. A despesa de pessoal pode atingir até R$ 5,02 bilhões sem ferir o limite prudencial (51,3% da receita líquida) estabelecido pela lei de responsabilidade fiscal. Portanto, a Administração estadual pode conceder um reajuste global – considerando o total de servidores públicos –aumentando em até R$ 211 milhões a despesa com pessoal”.

Inflação. A professora aposentada Teresa Santos, reclama que a categoria quer uma resposta clara do governo, após sete meses de negociação sem avanço no quesito mais esperado pelos professores. Ela diz que já enfrenta a queda do poder de compra e percebe que o salário está defasado pelo não reajuste dos seus proventos e num ambiente de crise econômica.

Considerações do MRP:
 
  1.  Alguém precisa informar à presidente do SINPROESEMMA que a LOA/2016 foi definida, votada e aprovada em 2015. Ela não deve cobrar a inclusão do reajuste dos educadores na Lei Orçamentária em pleno mês  de julho/2016.
  2. Por que somente no final de julho a diretoria do SINDICATO fala da existência de um estudo financeiro do DIEESE? Nele está explicito que o governo não fala a verdade quando afirma não ter condições financeiras para pagar o reajuste do PISO. 
  3.  A maior parte dos itens que a diretoria do sindicato diz ser conquistas dos educadores, ainda não foi efetivado. A exemplo citamos o caso das AMPLIAÇÕES e o das GRATIFICAÇÕES: DIFÍCIL ACESSO; AREAS DE RISCO E ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO;
  4. Observem a desculpa dada para justificar o não pagamento da gratificação devida aos professores que trabalham com alunos especiais;
  5.  Quando será que a diretoria do SINPROESEMMA convocará uma ASSEMBLEIA GERAL para permitir que os educadores se posicionem diante da política de arrocho salarial do governo

Violência não é fruto da pobreza, mas colheita da desigualdade social

20/07/2016

Enviado por

Desigualdade Social

COMO UM BRASILEIRO ENXERGA A HOLANDA

Algumas pessoas idealizam a Holanda como um lugar paradisíaco. Nada mais longe da verdade; as ‘terras baixas’ não são nenhum paraíso e têm diversos problemas. E nada, também, comparável ao que acontece com o Brasil e em relação ao resto do mundo, de uma maneira geral. Por isso, é tão didática (e deliciosa) essa narrativa de Daniel Duclos, o Daniduc, um ‘brazuca’ que vive por aquelas bandas.

LIMPE VOCÊ MESMO O SEU BANHEIRO

A sociedade holandesa tem dois pilares muito claros: liberdade de expressão e igualdade.

Claro, quando a teoria entra em prática, vários problemas acontecem. Há censura e desigualdade, em alguma medida, mas esses ideais servem como Norte na bússola social holandesa.

Um porteiro na Holanda não se acha inferior a um gerente. Um instalador de cortinas tem tanto valor quanto um professor “doutor”. Todos trabalham, levam suas vidas normalmente e cada profissão é tão digna quanto a outra.

Fora do expediente, nada impede de sentarem-se todos no mesmo bar e tomarem suas Heinekens juntos. Ninguém olha pra baixo e ninguém olha por cima.

A profissão não define o valor da pessoa – trabalho honesto e duro é trabalho honesto e duro, seja cavando fossas na rua, seja digitando numa planilha em um escritório com ar condicionado. Um precisa do outro e todos dependem de todos.

Claro que profissões mais especializadas pagam mais. A questão não é essa. A questão é “você ganhar mais porque tem uma profissão especializada não te torna melhor que ninguém”.

COXINHAS CONFUSOS

Profissões especializadas pagam mais, mas não muito mais. Igualdade social significa menor distância social: todos se encontram no meio. Não há muito baixo, mas também não há muito alto.

Um lixeiro não ganha muito menos do que um analista de sistemas. O salário mínimo é de 1.300 euros por mês. Um bom salário de profissão especializada fica de uns 3.500 a 4.000 euros mensais.

E ganhar mais do que alguém não torna esse alguém teu subalterno: o porteiro não toma ordens de você só porque você é gerente de RH. Aliás, ordens são muito mal vistas. Chegar dando ordens abreviará seu comando.

Todos ali estão em uma equipe, da qual você faz parte tanto quanto os outros, mesmo que a sua função dentro do time seja o de tomar decisões.

Esses conceitos são basicamente inversos aos conceitos da sociedade brasileira, fundada na profunda desigualdade.

Entre os brasileiros que aqui vêm para trabalhar e morar é comum – há exceções – estranharem serem olhados no nível dos olhos por todos. O chefe não te olha de cima e o garçom não te olha de baixo.

Brasileiros quando dão ordens ou ignoram socialmente quem tem profissão menos especializada do que a sua, ficam confusos ao encontrar de volta hostilidade em vez de subserviência. Ficam ainda mais confusos quando o chefe não dá ordens – o que fazer, agora?

DESCENDO DO PEDESTAL

Os salários pagos para profissões especializadas no Brasil conseguem tranquilamente contratar ao menos uma faxineira diarista, quando não uma empregada full time.

Os salários pagos à mesma profissão na Holanda não são suficientes pra esse luxo e é preciso limpar o banheiro sem ajuda – e mesmo que pague bem mais do que pagaria a um ajudante no Brasil, ele não ficará o dia todo a te seguir limpando cada poerinha sua, servindo cafezinho.

É assim: eles vêm, dão uma ajeitada e se mandam para cuidar de suas vidas fora do trabalho, tanto quanto você.

De repente, a ficha do que realmente significa igualdade cai: todos se encontram no meio e, pra quem estava no Brasil na parte de cima, encontrar-se no meio quer dizer descer de um pedestal que julgavam direito inquestionável – seja por mérito de ter “estudado mais” ou “meu pai trabalhou duro e saiu do nada” ou qualquer outra justificativa pra desigualdade.

Porém, a igualdade social holandesa tem um outro efeito que é muito atraente pra quem vem de uma sociedade profundamente desigual como a do Brasil: a relativa segurança.

IGUALDADE SOCIAL

É inquestionável que a sociedade holandesa é menos violenta do que a brasileira. Claro que aqui há violência – pessoas são assassinadas, há roubos. Nessa comparação, “menos violenta” não quer dizer “não violenta”.

O curioso é que aqueles brasileiros que queixam-se amargamente de limpar o próprio banheiro elogiam incansavelmente a possibilidade de andar à noite sem medo pelas ruas, sem enxergar a relação entre as duas coisas.

Violência social não é fruto de pobreza; violência social é colheita da desigualdade social.

A sociedade holandesa é relativamente pacífica não porque é rica, não porque é “primeiro mundo”, não porque os holandeses tenham alguma superioridade moral, cultural ou genética sobre os brasileiros, mas porque a sociedade deles tem pouca desigualdade.

Há uma relação direta entre a classe média holandesa limpar seu próprio banheiro e poder abrir um MacBook de 1.400 euros no ônibus sem medo.

VÁ LIMPAR SEU BANHEIRO!

Eu, pessoalmente, acho excelente os dois efeitos. Primeiro porque acredito firmemente que a profissão de alguém não tem qualquer relação com o valor pessoal. O fato de ter “estudado mais”, ter doutorado ou gerenciar uma equipe não te torna pessoalmente melhor que ninguém, sinto muito.

Não enxergo superioridade moral num trabalho honesto sobre outro, não importa qual. Por trabalho honesto não quero dizer “dentro da lei”, pois não considero honesto matar, roubar, espalhar veneno, explorar ingenuidade alheia, espalhar ódio e mentira, não me importa se seja legalizado ou não.

O quanto você estudou pode te dar direito a um salário maior mas não te torna superior a quem não tenha estudado – por opção, ou por falta dela. Quem seu pai é ou foi não quer dizer nada sobre quem você é. E nada, meu amigo, nada te dá o direito de ser o dono da cocada preta.

Um doutor que é arrogante e desonesto tem menos valor do que qualquer garçom que trata direito as pessoas e não trapaceia ninguém. Profissão não tem qualquer relação com valor pessoal.

Não gosto mais do que qualquer um de limpar banheiro. Ninguém gosta – nem as faxineiras no Brasil, obviamente. Também não gosto de ir ao médico fazer exames. Mas é parte da vida, e um preço que pago pela saúde.

Limpar o banheiro é um preço a ser pago pela saúde social. E um preço bastante barato, na verdade.

[the dude’s talk]

Entidades protestam contra Dino, TJ e exigem a exoneração dos fantasmas da AL-MA

19/07/2016

Entidades protestam contra Dino, TJ e exigem a exoneração dos fantasmas da AL-MA

Do Atual 7.

Em união inédita no estado, diversas entidades emitiram, no início da noite desta segunda-feira 17, uma carta aberta conjunta aos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário do Maranhão e à sociedade em geral. O movimento conta com quase 20 movimentos sindicais e protesta contra a afronta a defesa da ordem jurídica, o regime democrático de direito e os interesses coletivos e individuais sociais da classe trabalhadora maranhense.

As entidades repudiam, entre outras coisas, atitude recente do Tribunal de Justiça do Maranhão, que – num salto triplo carpado hermenêutico – considerou ilegal uma greve que sequer havia sido iniciada, e criticam o governador Flávio Dino (PCdoB) pelo uso da força policial de forma violenta contra trabalhadores que tiveram negados o seu direito de livre manifestação.

Os movimentos sindicais que assinam a carta pedem ainda que os deputados da Assembleia Legislativa do Maranhão tomem a iniciativa de agir com transparência na condução de seus atos, para isso exonerando de imediato todos os funcionários fantasmas da Casa, respeitando os servidores que trabalham e a liberdade sindical.

Já ao TJ-MA, as entidades requerem que os desembargadores que, antes de decidirem por decretar a ilegalidade de greves e apliquem multas e outras constrições, que passem a realizar audiências de Conciliação, acabando dessa forma com a histórica violação de direitos dos servidores.

No documento, as entidades fazem ainda uma convocação para que outras entidades sindicais e representantes da sociedade civil organizada, servidores públicos e a população de modo em geral participem de uma discussão e organização de encaminhamentos de atos públicos pela valorização do servidor público estadual. O ato acontecerá na próxima quinta-feira 21, a partir das 18 horas, na Associação Comercial, na Praça Dom Pedro II, Centro de São Luís.

Abaixo, a íntegra do documento:

CARTA ABERTA DOS MOVIMENTOS SINDICAIS AOS PODERES DO ESTADO DO MARANHÃO E À SOCIEDADE EM GERAL

Senhores Membros dos Poderes Judiciário, Executivo e Legislativo do Estado do Maranhão, nós, entidades sindicais, que assinamos abaixo, por meio desta Carta Aberta, manifestamos nossa insatisfação com os representantes dos mencionados poderes, que afrontam a defesa da ordem jurídica, o regime democrático de direito e os interesses coletivos e individuais sociais da classe trabalhadora do nosso Estado.

Noticiou-se, nos últimos dias, várias lutas de servidores públicos por um remuneração digna e pela moralização dos serviços nos mencionados Poderes. Em contrapartida, os servidores estão tendo negado o seu direito de livre manifestação, ante às sucessivas decisões do Tribunal de Justiça do Estado do Maranhão, algumas antecipadas, sobre a proibição de greve, inclusive com a aplicação de multas de valor considerável às entidades sindicais, bem como o uso da força policial de forma violenta pelo Governo Flávio Dino.

Os servidores em luta, hoje, estão buscando, em que pese perdas salariais históricas, no mínimo que se garanta, para este ano, a reposição inflacionária do ano anterior, no montante de 10,67%, além de pautas específicas de cada categoria dentro de suas atribuições. Para isso, requeremos ser recebidos pelo Governador do Estado, o mais breve possível, para um dialogo franco e aberto, a fim de proporcionar um relacionamento mais democrático e menos repressivo com todos os movimentos sindicais.

Requeremos ainda dos representantes do Poder Legislativo o cumprimento dos direitos constitucionalmente assegurados, de forma a garantir a transparência na condução dos seus atos e o fortalecimento das legislações pertinentes aos servidores públicos do Estado do Maranhão, iniciando-se pela demissão dos funcionários fantasmas, respeito aos servidores da Casa e à liberdade sindical.

Quanto ao Tribunal de Justiça, requeremos, antes de decidir pela ilegalidade de greves, com aplicação de multas e outras constrições, que realize audiências de Conciliação para fins de solução do conflito de forma amigável e sem violação de direitos, inclusive quanto aos seus servidores.

Finalmente, convocamos a sociedade civil organizada, servidores públicos, entidades sindicais e a população de modo em geral para, no dia 21.07.2016, 18 horas, na Associação Comercial, na Praça Dom Pedro II Centro participarem da discussão e organização de encaminhamentos de atos públicos que visam a valorização do servidor público estadual.

ENTIDADES QUE ASSINAM A CARTA:

Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual do Maranhão – SINDAFTEMA

Sindicato dos Engenheiros no Estado do Maranhão – SENGE/MA

Sindicato dos Servidores da Assembleia Legislativa do Maranhão – SINDSALEM

Sindicato dos Servidores da Fiscalização Agropecuária do Maranhão – SINFA-MA

Sindicato dos Servidores da Fundação da Criança e do Adolescente – SINDISFUNAC/MA

Sindicato dos Servidores da Justiça do Estado do Maranhão – SINDJUS-MA

Sindicato dos Servidores do DETRAN/MA – SINDET-MA

Sindicato dos Servidores do Sistema Penitenciário do Estado do Maranhão – SINDSPEM

Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Maranhão – SINPOL-MA

Sindicato dos Técnicos Agrícolas do Maranhão – SINTAG/MA

Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público do Estado do Maranhão – SINTSEP-MA

Associação dos Procuradores do Estado do Maranhão – ASPEM

Central dos Sindicatos Brasileiros – CSB

CSP Conlutas – Central Sindical e Popular

Federação Nacional dos Técnicos Agrícolas – FENATA

Força Sindical

Nova Central Sindical dos Trabalhadores – NCST

União Geral dos Trabalhadores – UGT

Sindicato dos Auditores Estaduais de Controle Externo do Maranhão – SINDAECEMA

Saiba quais as principais regras eleitorais para 2016

18/07/2016

Por Flávio Braga

Convenções partidárias: as convenções para a escolha dos candidatos e a deliberação sobre coligações devem ocorrer de 20 de julho a 5 de agosto. Importante inovação legislativa é que a ata da convenção, digitada e assinada em duas vias, deve ser encaminhada ao juízo eleitoral, em 24 horas após a convenção, para publicação e arquivamento no cartório, a fim de  integrar os autos do processo principal de registro de candidaturas.

Registro de candidatos: os pedidos de registro de candidatos devem ser apresentados pelos partidos políticos e coligações ao respectivo cartório eleitoral até às 19h do dia 15 de agosto.

Idade mínima para candidatura: a idade mínima constitucionalmente estabelecida como condição de elegibilidade é verificada tendo por referência a data da posse, salvo quando fixada em dezoito anos (para vereador), hipótese em que será aferida no dia 15 de agosto, último dia para a apresentação dos pedidos de registro no cartório eleitoral.

Quantidade de candidatos por partido ou coligação: cada partido político ou coligação poderá requerer o registro de candidatos para a câmara municipal até 150% do número de lugares a preencher (nova redação do art. 10, da Lei nº 9.504/97). Cumpre ressalvar que nos municípios de até 100.000 eleitores cada coligação poderá registrar candidatos no total de até 200% do número de lugares a preencher na câmara municipal.

Substituição de candidatos: tanto nas eleições majoritárias como nas proporcionais, a substituição só se efetivará se o novo pedido for apresentado até 20 dias antes da data do  pleito, exceto no caso de falecimento de candidato, quando a substituição poderá ser efetivada após esse prazo.

Propaganda eleitoral: a campanha eleitoral foi reduzida de 90 para 45 dias, começando em 16 de agosto. O período de propaganda no rádio e na TV também foi diminuído de 45 para 35 dias, tendo início em 26 de agosto, em primeiro turno.

Comício e sonorização: a partir do 16 de agosto, quando começa a propaganda eleitoral os candidatos, os partidos ou as coligações podem fazer funcionar, das 8 às 22 horas, alto-falantes ou amplificadores de som, nas suas sedes ou em veículos. Também os partidos políticos e as coligações poderão realizar comícios e utilizar aparelhagem de sonorização fixa, das 8 às 24 horas, podendo o horário ser prorrogado por mais duas horas quando se tratar de comício de encerramento de campanha.

Propaganda eleitoral na internet: a partir de 16 de agosto começará o prazo para a propaganda eleitoral na internet, sendo vedada a veiculação de qualquer tipo de propaganda paga. Não há falar em propaganda eleitoral realizada por meio do twitter, uma vez que essa rede social não leva ao conhecimento geral as manifestações nela divulgadas.

Apresentador Ratinho é condenado por trabalho escravo em fazenda

14/07/2016

ratinho

O apresentador do SBT, Carlos Roberto Massa, conhecido como Ratinho, foi condenado a pagar R$ 200 mil por danos morais coletivos. De acordo com o Tribunal Superior do Trabalho (TST), ele mantinha funcionários de sua propriedade rural em situação análoga à de escravos, sem fornecer equipamentos de segurança, alojamento ou alimentação adequada.

Segundo a denúncia, os empregados da Fazenda Esplanada, em Limeira do Oeste (SP), tinham que se alimentar na lavoura e nos banheiros. Ratinho também teria aliciado pessoas no Maranhão e na Bahia, contratadas em situação irregular.

O apresentador já havia sido condenado a pagar R$ 1 milhão por danos morais coletivos na mesma ação pela Justiça do Trabalho de Minas Gerais, depois que o Ministério Público do Trabalho (MPT) em Uberlândia ajuizou uma Ação Civil Pública (ACP) contra ele.

Carlos Massa recorreu e conseguiu excluir o dano, mas o MPT foi ao TST, apontou violação de artigos e leis, além de divergência jurisprudencial, e os ministros aceitaram o recurso. Em nota divulgada pela assessoria de imprensa, ele negou as acusações.

Disputa pelo comando da Câmara já tem 14 candidatos; saiba quem são eles

13/07/2016
Ivan Richard e Luciano Nascimento – Repórteres da Agência Brasil

A Câmara dos Deputados vai definir hoje (13), a partir das 16h, o nome de novo presidente da Casa após a renúncia do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Até o momento, 14 deputados oficializaram candidaturas para o mandato tampão até fevereiro do ano que vem. Além de comandar a Casa, quem vencer a disputa será o segundo na linha sucessória do país, caso o Senado confirme o impeachment da presidenta afastada Dilma Rousseff.

Novas candidaturas poderão ser registradas até o meio dia desta quarta-feira. A eleição ocorrerá por meio de urnas eletrônicas e o voto será secreto, conforme prevê o regimento interno da Casa.

A ordem dos candidatos na votação e a dos discursos será definida por meio de sorteio. Cada candidato terá dez minutos para apresentar suas plataformas e pedir o voto dos colegas.

Para ser eleito, o deputado precisará da maioria absoluta, ou seja, 257 votos. Caso ninguém consiga atingir esse número na primeira votação, haverá segundo turno. Em caso de empate, tanto no primeiro quanto em um eventual segundo turno, a disputa será decidida obedecendo aos seguintes critérios: maior número de mandatos e parlamentar mais idoso.

Candidatos

Beto Mansur – Atualmente, é o 1° secretário da Mesa Diretora da Câmara. Filiado ao PRB, está em seu quinto mandato como deputado federal. Mansur é radialista, empresário e engenheiro eletrônico e já foi prefeito de Santos (SP).

Carlos Henrique Gaguim – Integrante do chamado centrão e aliado de Eduardo Cunha, já foi do PTB e do PMDB. Foi duas vezes vereador de Palmas, três vezes deputado estadual, duas vezes presidente da Assembleia Legislativa e governador de Tocantins. Atualmente, é filiado ao PTN e exerce seu primeiro mandato de deputado federal.

Carlos Manato – Atual corregedor da Câmara, Manato também é integrante do centrão. É médico por formação e deputado desde 2003, quando se elegeu pelo PDT, antes de ir para o Solidariedade. Já integrou a Mesa Diretora da Câmara como suplente por duas vezes.

Cristiane Brasil – Em seu primeiro mandato de deputada federal, Cristiane já foi vereadora no Rio de Janeiro. Filha do delator do mensalão Roberto Jefferson, Cristiane é filiada ao PTB e já foi secretária extraordinária da Terceira Idade e secretária especial de Envelhecimento Saudável e Qualidade de Vida da prefeitura do Rio de Janeiro.

Esperidião Amin – Advogado, professor universitário e administrador, Espridião Amin, atualmente em seu terceiro mandato na Câmara eleito pelo PP, foi governador de Santa Catarina e duas vezes prefeito de Florianópolis (SC).

Evair Vieira de Melo – Técnico agrícola e administrador de empresas com MBA em Gestão de Projetos, Vieira de Melo está em seu primeiro mandato como deputado federal pelo PV. Já foi secretário municipal de Agricultura de Venda Nova do Imigrante (ES) e diretor-presidente do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural.

Fábio Ramalho – Está no terceiro mandato na Câmara dos Deputados. Formado em direito, Ramalho foi prefeito do município de Malacacheta (MG) no período de 1997 a 2004. Do PMDB, o deputado já integrou as comissões de Finanças e Tributação e de Legislação Participativa. Atualmente é titular da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Fausto Pinato – Primeiro relator do processo contra Eduardo Cunha no Conselho de Ética, Pinato está em seu primeiro mandato de deputado federal pelo PP. Advogado, o deputado paulista já trabalhou como secretário parlamentar na Câmara e como assessor técnico na Assembleia Legislativa de São Paulo.

Giacobo – Aliado de Cunha e empresário do ramo de móveis e eletrodomésticos, o deputado do PR também é ligado à bancada do agronegócio e foi presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural.

Luiza Erundina – Atualmente no PSOL, a deputada foi a primeira mulher prefeita de São Paulo (1989 a 1992), quando ainda era filiada ao PT (1980 a 1997). Do PT, Erundina foi para o PSB (1997-2016). Também foi vereadora (1983 a 1987) e deputada estadual (1987 a 1988).

Marcelo Castro – Médico e professor da Universidade Federal do Piauí, o peemedebista Castro é ex-ministro da Saúde do governo da presidenta afastada Dilma Rousseff. Já foi deputado estadual e se destacou na Câmara dos Deputados como presidente da CPI que investigou os acidentes aéreos em 2007.

Miro Teixeira – Jornalista e advogado, Teixeira é o Decano da Câmara dos Deputados e cumpre o 11º mandato como deputado federal. Foi parlamentar Constituinte e ministro das Comunicações no primeiro ano do primeiro governo do presidente Lula. É filiado à Rede.

Rodrigo Maia – Filho de ex-prefeito do Rio de Janeiro, Cesar Maia, Rodrigo Maia está em seu quinto mandato na Câmara dos Deputados. Ex-presidente do Democratas, o parlamentar já foi por duas vezes líder da bancada do partido na Câmara.

Rogério Rosso – Deputado federal desde 2007, Rosso é advogado e ocupou cargos públicos no governo do Distrito Federal na gestão de Joaquim Roriz. Em 2010 foi escolhido governador em eleição indireta da Câmara Legislativa do DF para um mandato tampão após a saída do ex-governador José Roberto Arruda. Líder do PSD na Câmara, Rosso presidiu a Comissão do Impeachment que analisou a denúncia contra a presidenta afastada Dilma Roussff na Casa. É aliado de Cunha.

Edição: Denise Griesinger
  • Arquivos do blog

  • Siga o GD News no Twitter:

  • Postagens recentes

  • Tópicos melhor avaliados

  • Já visualizaram este blog:

  • Tag

    (in)Justiça Assembléia Legislativa Assembléia Legislativa do Maranhão Blog Blogs Brasil Carnaval Cidadania Cidade de Dom Pedro Cidade de Presidente Dutra Cidade de São Domingos do Maranhão Clã Dias Clã Sarney Combate a corrupção Concurso concurso de Governador Archer Concurso Público Congresso Controle social Corrupção Corrupção Sarney Crônicas Câmara de Vereadores Descaso Direitos Humanos Dom Pedro Educação Eleições 2012 Eleições2014 Enchentes Escravidão Estado FAPEMA Ficção Gestão pública Gestão Vilson Andrade Gonçalves Dias gonçalves dias-ma Governo Governo de Roseana Governo Roseana Greve Greve em Gonçalves dias Greve na SEDUC/MA Humor Inicio Início Justiça Licitação Maranhão Meio Ambiente Melhor governo da vida de Roseana ministério público Novos municípios Oposição no Maranhão Patrimonialismo Política Políticas públicas Professores PT reflexão Região de Presidente Dutra Roseana Sarney Sarney Saúde Saúde pública SEDUC/MA Segurança Pública STF SUS TCE Vadilson Dias vergonha Vergonha Nacional Vilson Andrade
  • Seguir

    Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

    Junte-se a 2.299 outros seguidores